Visitas totais: 18263123

COLUNISTAS

29/03/2012

Arilton Barreiros (Política)

E-mail: arilton@radiosc.com.br

Fone/fax:

Descrição:

POLÍTICA - o que rola na região

17/10/2016

 Frase: Se você tem cérebro e sapatos nos pés e o caminho não for agradável, vá por outro que julgar melhor. Theodor Seuss Geisel, escritor e humorista americano.

 
Legenda: Vereador Vanor Rosa, o Neno, apesar de descontente com algumas pessoas, não vai deixar o PMDB. Tem a garantia dos deputados Edinho e Mota que em 2017 estará de volta à Câmara de Vereadores.
 
- Juiz da Comarca de Armazém, dr. Sancler Adilson Alves, e a promotora de justiça da comarca, dra. Ana Paula Destri Pavan, entregaram ao comandante da 2ª Cia. da PM de Gravatal, primeiro-tenente Maycon Prudêncio Joaquim, seis kits de tecnologia embarcada para viaturas, denominados de PM Mobile, além de um etilômetro.
 
- Na Câmara de Tubarão o presidente Edson Firmino já dispensou 20 pessoas que estavam em cargos comissionados e nos próximos dias deverá fazer o mesmo com um outro grupo. Edson quer cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal e entregar o Legislativo com tudo resolvido.
 
- Em Capivari de Baixo as primeiras conversas entre o atual prefeito, Moacir Rabelo, e o futuro, Nivaldo Souza, já começaram. Os dois estiveram reunidos  e Moacir garantiu que tudo fará para que Nivaldo comece seu mandato sem maiores problemas. 
 
- O reitor da Unisul e presidente da Acafe, professor Sebastião Salésio Herdt, conversou com o ministro da Educação, Mendonça Filho, que esteve em Balneário Camboriú  abrindo no Hotel Marambaia o FNDE Soluções Locais. Salésio pediu uma solução para o problema do atraso do Fies.
 
 
- Os candidatos do PT (Partido dos Trabalhadores) à Câmara de Tubarão somaram no total 3.323 votos. O prefeito Olavio Falchetti somou 11.928 votos. Isso significa que o partido continua pequeno na Cidade Azul e que os votos que a sigla somou na verdade pertencem a Olavio. 
 
 
 
 
- Candidatos ligados ao esporte em nossa região acabaram elegendo-se bem no domingo passado. Alexandre Morais, presidente do Hercílio Luz, Gilmar Negro Machado, presidente do Atlético Tubarão, Licão, ex-presidente do Atlético Tubarão, e Robertinho, presidente do Imbituba, garantiram cadeiras nas Câmaras de Vereadores. 
 
- Até o dia 31 de outubro estarão abertas as inscrições para o processo seletivo da residência médica do Hospital Nossa Senhora da Conceição de Tubarão. Ao todo, 19 vagas foram colocadas à disposição dos candidatos. As inscrições devem ser feitas através do portal eletrônico www.acm.org.br. 
 
- O PMDB catarinense consolidou-se como o maior partido de Santa Catarina nas eleições de domingo. Com 99 prefeitos eleitos, a sigla conquistou 40,5% de candidatos a mais do que o segundo colocado. Os peemedebistas ainda disputam o segundo turno em Florianópolis e Joinville.
 
- Candidato que ficou em quarto lugar nas eleições para prefeito em Tubarão, Edi Carlos de Almeida, o Edi da Farmácia, agradeceu os votos que recebeu e deixou claro que em 2020 quer estar de volta à cena política. Ele quer que o PSC surpreenda e se Deus der permissão quer estar lá com toda a força e vontade.
 
 
- Prefeito eleito de Tubarão, Joares Ponticelli, irá conversar pessoalmente com o prefeito Olavio Falchetti para saber se existe a possibilidade de ele enviar à Câmara um projeto de reforma administrativa para ser votado ainda em novembro. Joares quer iniciar o governo com esta questão definida.
 
 
- Os principais caciques do PMDB de Santa Catarina, Eduardo Moreira, Mauro Mariani, Valdir Cobalchini e Dário Berger, perderam as eleições em suas cidades de origem. Será que isso fará alguma diferença na vida política deles? A resposta, só o tempo dirá, mas a verdade é que todos acabaram perdendo.
 
 
O RECADO DAS URNAS
As eleições do dia 2 de outubro deram várias lições aos políticos e seus partidos. A principal delas foi que o grande número de abstenções, cerca de 25 milhões de pessoas em todo o Brasil, desconstruiu a tese de que o nível de desencanto dos cidadãos com a política levaria ao aumento de votos na oposição. Essa perspectiva foi por terra com os resultados observados país afora. O PT perdeu muito espaço e precisa agora ser repensado pelos seus integrantes, mas isso não se converteu em apoio desses votos diretamente ao PSDB ou PMDB em larga escala, como se pensava. O descontentamento dos eleitores só levou ao crescimento de algumas siglas, como o PSOL no Brasil e o PSD em nosso Estado. As abstenções representaram um recado para todos, sem deixar ninguém de lado. Em eleições não há um vencedor absoluto. Sempre vão ser observadas pequenas derrotas e pequenas vitórias. 
 
O DESABAFO DE NENO
Vereador do PMDB de Tubarão, Vanor Rosa, o popular Neno, já disputou sete eleições na Cidade Azul e em 2000 foi o edil mais votado do partido. Na eleição de domingo passado, apesar de ter conquistado 1.054 votos, acabou não se elegendo e ficando na primeira-suplência. Segunda-feira, ao usar da tribuna da Câmara, Neno fez um desabafo que causou espanto para muita gente, notadamente para os filiados e adeptos do PMDB. Em alto e bom som, Neno disse que foi prejudicado pelo seu companheiro de partido Evandro Almeida e também por outras pessoas. Disse que vai repensar sua situação e que não reclamava por não ter sido eleito, e sim pela forma como sempre foi tratado dentro do PMDB. Neno não deixou claro se pretende, depois de terminar o mandato, em dezembro, abandonar a política ou trocar de sigla. O fato é que o PMDB está perdendo mais um pedaço da sua colcha de retalhos. 
 
O FATOR OLAVIO
 
Apesar do resultado eleitoral desfavorável, elegendo 256 prefeitos nas eleições municipais deste ano, ante 630 em 2012, o PT (Partido dos Trabalhadores) não está morto. Embora tenha havido inegável vitória dos setores conservadores, é preciso considerar o massacre que o PT sofreu nos últimos 18 meses. Dentro da conjuntura política atual no Brasil, poucos partidos não seriam destruídos com uma campanha midiática como a que vimos principalmente nos grandes veículos de comunicação. Em Tubarão a sigla sempre foi pequena e os números não mentem. Basta olhar para trás e ver quantos votos o PT sempre fez no município. A votação de Olavio Falchetti em 2012 (26 mil) e agora em 2016 (12 mil, aproximadamente) mostra que o eleitorado aposta no nome e não na sigla. Caso Olavio venha a deixar o PT, o partido terá que buscar um novo nome que agregue tanto quanto o atual prefeito. Será que achará?
 

IMAGENS

OUTRAS POSTAGENS